Translate

25/05/2013

Recursos Estilísticos - Outros

Posição do adjetivo
“Um facto importante de estilo, sobretudo em português, é a posição do adjetivo qualificativo. Vejam-se estas duas frases:
a)      O rapaz pobre necessita de fazer economias.
b)      O pobre rapaz ficou reprovado no exame.
No primeiro caso, o adjetivo pobre está utilizado no seu verdadeiro sentido, define com precisão a qualidade do rapaz: ‘rapaz sem recursos’. No segundo caso, o adjetivo é usado com significação diferente; na verdade, aquele ‘pobre rapaz’ pode ser agora um rapaz imensamente rico.”

Recursos ao advérbio de modo
“Comparem-se as três frases:
a)      O carro anda devagar.
b)      O carro anda vagaroso.
c)      O carro anda vagarosamente.
A primeira frase representa o processo corrente, tradicional, com o emprego do advérbio devagar, normalmente expressivo. Na segunda, em vez do advérbio, é usado o adjetivo, com que se pretende ao esmo tempo caraterizar o ato e o sujeito. Na terceira utiliza-se outro tipo de advérbio, constituído pelo adjetivo e pelo sufixo derivacional-mente. Qual das três formas de dizer é mais expressiva? Sem dúvida nenhuma, é mais expressiva a terceira forma. No primeiro exemplo, o advérbio, por muito usual, soa um pouco fraco e desbotado. No segundo, o adjetivo, à força de querer ser tudo, nem carateriza energeticamente a ação nem o sujeito, embora penda para este último. No terceiro, enfim, o advérbio exprime de modo perfeito a natureza do ato, introduzindo não apenas uma noção de tempo, mas ainda de modo, continuidade e movimentação.”

Utilização de onomatopeia
Pelo seu valor sugestivo e insinuante, a onomatopeia pode servir para criar efeitos muito particulares num determinado texto, de acordo com as intenções do seu autor e da mensagem a transmitir.
Ex.: “Passa, tempo, tic-tac
Tic-tac, passa, hora
Chega logo, tic-tac
Tic-tac, e vai-te embora”
(Vinicius de Moraes)


Sem comentários:

Enviar um comentário