Translate

03/07/2012

Estratégias manipuladoras

Aposta na sedução e na sugestão; aquele que manipula, diferentemente da situação de persuasão e de argumentação, não se dirige à inteligência do outro, não tenta convencê-lo com razões, mas actua de forma ardilosa, explorando habilmente as fraquezas das pessoas.

O discurso manipulador tende a suprimir os problemas quando a sua discussão aberta poderia comprometer a adesão do auditório; por exemplo, é frequente publicitarem-se bebidas alcoólicas, escamoteando os problemas que podem vir do seu consumo, acentuando apenas os aspectos sedutores nelas implicados; é normal publicitar-se um automóvel frente a uma paisagem deslumbrante, sem fazer qualquer referência ao preço, consumo ou outras características do produto que se está a vender.
Ao iludir as questões, a manipulação consegue mais facilmente levar as pessoas a adoptarem determinados comportamentos, considerados desejáveis na óptica daquele que manipula. 

As estratégias manipuladoras manifestam-se sobretudo em determinados tipos de publicidade e propaganda política através do uso demagógico da linguagem para obter a adesão do auditório.

Como enfrentar as estratégias manipuladoras?
Desenvolver o espírito e uma atitude de observação atenta é provavelmente um recurso que não podemos desprezar se quisermos evitar que as estratégias manipuladoras rendam dividendos.

O pensamento crítico implica:
  1. Avaliar a consistência dos argumentos (analisar se as razões são adequadas ou relevantes)
  2. Escrutinar as crenças que se aceitam sem fundamento racional, questionar crenças e posições que se tornaram fechadas ou dogmáticas, para denunciar os limites de tal pensamento, e abrir o caminho para um modo diferente de pensar.
Outro recurso complementar, seria o de generalizar, através da educação, o conhecimento das práticas retóricas e o desenvolvimento das respectivas competências. Se o auditório dominar competências retórico-argumentativas, vai ser um auditório exigente!

Este é um problemas que as sociedades democráticas têm de encarar com seriedade, até porque, hoje em dia, há especialistas em persuasão e manipulação que estão preparados para fazer apelo às nossas emoções mais primárias e que são capazes de nos levar a pensar e a fazer aquilo que pretendem que pensemos e façamos.

Assim, responder a estratégias manipuladoras implica conhecer e dominar práticas retóricas e desenvolver o espírito crítico.


Sem comentários:

Enviar um comentário