Translate

12/10/2012

Os princípios básicos do condicionamento operante - Modelagem (Shaping)

Tal como no condicionamento clássico, a aquisição é, no condicionamento operante, a formação de uma nova resposta. Contudo, como o condicionamento operante implica em grande parte a emissão de respostas voluntárias (é o caso dos seres humanos, pelo menos) o processo de formação da resposta operante difere do processo de formação da resposta clássica. No condicionamento operante as respostas formam-se ou adquirem-se mediante um processo gradual designado modelagem.

A modelagem (shaping) consiste no reforço de aproximações cada vez mais bem-sucedidas à resposta desejada, ou seja, pequenas parcelas do comportamento global desejado são “recompensadas” (termo que Skinner considerava demasiado subjetivo) enquanto caminho para a resposta pretendida.
Por que razão é importante a modelagem? Porque em muitas situações a resposta que queremos reforçar (para assim ser adquirida, retida e aprendida) não ocorre. Por outras palavras, a modelagem é necessária quando por si só um organismo não emite a resposta esperada ou desejada.

Se algum dos ratos não pressiona o pedal há que conduzi-lo progressivamente a esse comportamento. Pode-se começar por reforçar com um pouco de comida o fato de o rato se virar na direção do pedal uma ou outra vez. Em breve o rato olhará cada vez mais para esse dispositivo. Trata-se em seguida de o fazer aproximar dele, de conseguir que o toque e finalmente de obter a resposta desejada: pressionar o pedal. A princípio, o ato de pressionar é pouco regular mas torna-se cada vez mais frequente à medida que vai sendo reforçado com comida. A modelagem do comportamento do rato está consumada.

Outro exemplo: imaginemos que João quer ensinar i cão a trazer-lhe as pantufas. Sem a aplicação da técnica da modelagem tal comportamento pode levar demasiado tempo a ser adquirido ou nunca o ser. João coloca as pantufas na zona de ação do animal. O mínimo movimento ou olhar do cão na direção das pantufas é imediatamente reforçado com um biscoito. Uma mais consistente aproximação ao comportamento desejado (trazer as pantufas) como, por exemplo, deslocar-se em direção ao objeto é reforçada com mais biscoitos e assim sucessivamente até que – o que ainda pode levar tempo – a resposta desejada ocorre.


A técnica da modelagem – indicar progressivamente, mediante reforço, as etapas comportamentais que conduzem ao comportamento desejado – é bastante utilizado pelos treinadores e domadores de animais. Basta referir os espetáculos com felinos no circo e com golfinhos e leões-marinhos nos jardins zoológicos e zoomarines. Podemos inferir como os animais aprenderam os comportamentos complexos a que assistimos.


Sem comentários:

Enviar um comentário