Translate

10/10/2012

Os princípios básicos do condicionamento operante - Discriminação de estímulos

Embora no condicionamento operante as respostas ou comportamentos sejam em última análise condicionadas pelas suas consequências, os estímulos que precedem a resposta podem influenciá-la.

Os estímulos discriminativos são “sinais” que influenciam o comportamento ao indicarem a provável consequência (ser reforçada ou não) de uma resposta.

Assim, um pombo, após várias respostas seguidas de reforço na presença constante de um dado estímulo, aprende que esse estímulo “assinala” que o comportamento será reforçado. Se dando bicadas num disco iluminado o pombo recebe comida e tal reforço não se segue quando dá bicadas num disco não iluminado, a ave rapidamente aprenderá a discriminar ou diferenciar os dois estímulos unicamente dando bicadas quando a luz está acesa. É habitual que um gato abandone a sua confortável sonolência quando ouve o som característico da abertura da lata de comida mas é pouco habitual que isso aconteça quando ouve o som da tampa de uma panela. Ao responder a um som e não ao outro deu-se a discriminação de estímulos (tendência para que uma resposta ocorra mais frequentemente na presença de certos estímulos do que na de outros).

A discriminação de estímulos é uma condição essencial de aprendizagem e das relações humanas em geral. Ninguém conseguirá obter aprovação no exame de código da estrada se não efetuar discriminação de estímulos (diferenciar neste caso os sinais uns dos outros); aprendemos a responder diferentemente a situações de alegria e de tristeza, a quem mostra interesse e simpatia por nós e a quem nos despreza, ignora ou insulta; sabemos que num comício político convém falar alto mas que tal comportamento será censurável numa sala de cinema ou num funeral; e se numa visita a casa de pessoas amigas um dos visitantes se dispõe a lavar loiça ou a ajudar nesse serviço é evidente que se não tivesse aprendido a discriminar loiça suja de loiça limpa, tal comportamento frequentemente bem visto (reforçado) poderia tornar-se absurdo e ridículo (ir, por exemplo, ao armário e retirar loiça limpa para a lavar).

A discriminação entre estímulos pode acontecer também quando a resposta a um estímulo é mais fortemente reforçada do que a resposta a outro estímulo. 


Sem comentários:

Enviar um comentário