Translate

24/09/2012

Exemplos do condicionamento clássico

  1. O André detesta chocolates da marca Kinder. No seu 4º aniversário comeu algumas barritas e, pouco tempo depois, estava doente com febre, vómitos e arrepios. Tratava-se de uma gripe mas para o André foram os chocolates Kinder que provocaram o seu mal-estar. Ainda hoje recusa-se a comê-los. Mas não generalizou, por completo, bem pelo contrário, discriminou: só os chocolates Kinder é que “fazem mal”. Há outros que continuam a ser “bons”.
  2. Vários anos depois da Segunda Guerra Mundial muitos habitantes de cidade que foram bombardeadas irritavam-se e amedrontavam-se com o som dos aviões comerciais que voavam baixo. O som dos aviões era associado à destruição, à morte e ao pavor causados pelos bombardeiros.
  3. Um aluno detesta um professor de Biologia porque até agora no seu percurso escolar foi a única pessoa que o reprovou. Desde então evita cruzar-se com ele a caminho das aulas, irrita-se quando vê o seu carro no parque de estacionamento e revela mesmo inquietação e mudança de humor quando ouve a palavra Biologia.
  4. Muitas pessoas emocionam-se com certas canções – que porventura já não ouviam há muito tempo – porque trazem à memória pessoas e acontecimentos especiais. O mesmo pode acontecer com perfumes e after shaves. Estímulos neutros são associados com pessoas, acontecimentos e situações e adquirem o poder de suscitar reações e sentimentos semelhantes aos despertados pelos estímulos originais.
  5. Os homens de negócios costumam reunir-se com os seus clientes em restaurantes luxuosos e de excelente reputação gastronómica na possível espectativa de que os produtos ou serviços que querem vender suscitem uma resposta tão positiva como o bom aspeto e a boa comida do restaurante.
  6. A publicidade à cerveja aplica alguns princípios do condicionamento clássico ao apresentar pessoas de aspeto agradável e atraente a saboreá-la enquanto conversam e riem ou sorriem, quer numa praia bonita e cheia de sol, quer num confortável apartamento. Os produtores de cerveja esperam que os espetadores associem um estimulo neutro (uma lata ou uma garrafa de cerveja) com um estimulo não condicionado que naturalmente suscita uma resposta emocional positiva (as situações agradáveis), de modo a que a cerveja por si só induza uma resposta de agrado (sentir-se bem só de pensar que se vai beber tal cerveja). O mesmo acontece com outros produtos é o seguinte: se os produtos ou estímulos em princípio neutros forem associados com pessoas de que gostamos, então é muito provável que com o tempo esses produtos sejam também desejados.
  7. Os coiotes são uma série ameaça para os rebanhos de ovelhas no Oeste dos EUA. Por outro lado, o seu extermínio seria uma má medida ecológica porque devoram outros animais cuja proliferação seria nociva. Como “solução de compromisso” dois psicólogos tentaram que eles aprendessem a ter aversão às ovelhas. Deram-lhes a comer carcaças de ovelha envoltas num fármaco (cloreto de lítio) que provoca náuseas e vómitos. Depois de muitos vómitos e náuseas, os coiotes tiveram oportunidade de atacar uma ovelha. Em vez de o fazerem, recuaram indispostos só de a verem.

2 comentários: