Translate

17/08/2012

Conhecimento vulgar e conhecimento científico

A distinção entre conhecimento empírico e conhecimento racional conduz a uma segunda distinção entre conhecimento vulgar e conhecimento cientifico.

O conhecimento vulgar (ou senso comum)
É uma forma elementar (= primária), e superficial de conhecimento, assente numa atitude ingénua, não crítica e pouco racional:
Regista o aparente sem perspectiva, ou seja, satisfaz-se com o resultado imediato da observação e com o conhecimento que o reproduz, porque pensa ingenuamente que descrever é explicar.
Não tem preocupação de objectividade nem de coerência lógica:

  • é sempre subjectivo (exprime-se através de opiniões que não se sabem fundamentar) e particular (incide sobre situações particulares da experiência quotidiana e vivencial);
  • nem sempre pensa (raciocina) de uma forma lógica e coerente, na medida em que muitas vezes desrespeita os princípios lógicos da razão (ou seja, profere frequentemente afirmações contraditórias) e por exemplo aproxima o que de facto não tem relação (analogias falaciosas) e faz generalizações abusivas (também falaciosas).
Não resulta de uma prática especificamente orientada para o produzir: forma-se, acumula-se e reproduz-se, espontaneamente, no suceder da vida quotidiana, consoante as exigências e necessidade da vida prática.


O conhecimento cientifico
Não se contenta com a visão superficial da descrição do que acontece (aparente) e quer apreender o porquê do que acontece (ir além do aparente dado pelo conhecimento empírico e vulgar):
  • sabe que estabelecer as relações (leis) que permitem explicar e prever a ocorrência dos fenómenos é uma tarefa e uma actividade da razão humana que trabalha coerente e metodicamente.
  • sabe que o conhecimento vulgar não nos dá o verdadeiro acesso à realidade, podendo mesmo ser um obstáculo à construção do conhecimento científico.

Sem comentários:

Enviar um comentário