Translate

05/02/2012

Ideias a reter

- A lógica formal estuda as leis que permitem estruturar correctamente o nosso pensamento, através da explicitação das propriedades dos argumentos válidos.

- Aprender Lógica é útil para a Filosofia porque não é possível demonstrar, de forma empírica, a veracidade das teorias. A actividade filosófica exige a construção de teorias sólidas e consistentes, por isso, importa analisar e avaliar os argumentos usados.

- Raciocinar ou fazer inferência é retirar conclusões a partir de premissas (ao pensar inferimos afirmações de outras afirmações). As premissas de um raciocínio são as razões dadas para sustentar a conclusão. A conclusão de um raciocínio é aquilo que decorrer da aceitação do que é afirmado nas premissas.

- As premissas e a conclusão de um raciocínio são juízos, isto é, afirmações susceptíveis de serem consideradas verdadeiras ou falsas.

- O conceito é uma representação abstracta e universal que permite dar forma às nossas representações acerca da realidade e construir afirmações (juízos) acerca da realidade.

- Conceptualizar ou construir conceitos resulta de um processo de abstracção. O conceito fixa e representa na mente uma ideia geral e abstracta cujo enunciado é o termo.

- A operação mental que nos permite formular uma proposição é o juízo. O juízo predicativo estabelece uma relação entre um sujeito e um predicado, por intermédio da cópula.

- O sujeito (lógico) do juízo é aquilo de que se afirma ou nega alguma coisa (o predicado). O predicado é a característica ou atributo que se afirma ou se nega pertencer ao sujeito.

- Uma proposição (conteúdo enunciado numa frase declarativa que é verdadeira ou é falsa) é o enunciado de um juízo e um argumento é o enunciado de um raciocínio.

- Um argumento é constituído por proposições, premissa ou premissas e uma conclusão. Para constituírem um argumento, as proposições têm de estar organizadas de modo a que uma delas seja a conclusão derivada da outra ou outras (as premissas).

Sem comentários:

Enviar um comentário